PARTO HUMANIZADO: O QUE É

October 14, 2016

 

Vamos começar pelo que o “Parto Humanizado” não é. Ele não é sinônimo de parto natural, na água ou domiciliar. Parto humanizado não significa um “tipo de parto”, ou seja, um modo de parir, uma posição, um local ou uma condição. Parto humanizado é uma abordagem ao parto, uma forma de encará-lo, vivê-lo, concebê-lo e conduzi-lo.

 

Protanto, qualquer parto pode ser humanizado. Então, pergutam, por que se vê parto humanizado associado geralmente a parto natural ou domiciliar?

 

Porque o parto humanizado nasceu para resgatar o protagonismo feminino que está associado à fisiologia do parto, ambos vinculados ao empoderamento feminino. Compreendendo cada um desses conceitos ficará claro porque parto humanizado geralmente se identifica com parto natural ou domiciliar.

 

Com “protagonismo feminino” se quer dizer que a mulher tem um lugar de destaque, que o parto é dela e ela tem uma atitude e postura ativas durante o mesmo. Isso implica uma mulher informada sobre o mecanismo de parto e à vontade no ambiente e com as pessoas (profissionais e não) para vivenciar o parto de forma livre, espontânea – ou seja ativa. Ela não é passiva, submissa, amedrontada, acuada. Ela atua em seu próprio parto.

 

Com “fisiologia do parto” se entende o mecanismo natural do parto, como ele funciona “ao estado natural, puro” sem intervenções externas (ou internas). Estamos aqui falando do parto animal, mamífero. Este parto segue um certo percurso e chega ao esperado desfecho de forma totalmente natural. Respeitando-o a experiência de parto é muito mais suave e menos dolorida do que quando a fisiologia do parto é desrespeitada ou atravancada por várias interferências externas (médicas e sociais) ou internas (medos).

 

Com “empoderamento feminino” nos referimos ao efeito que uma condição de preparação ao parto e de parto produz na mulher: um estado interior de poder, força, autoestima, confiança e autoconfiança. Não se trata aqui de poder mental, do ego, do “eu quero”. Trata-se de uma condição interior de poder aliada à confiança em si e na vida. Entrega e alegria, força e doação, vontade e fé.

 

Quando se quer levar em consideração esses conceitos, eis que a modalidade de parto em que a mulher é mais protagonista e em que a fisiologia é mais livre de atuar é necessariamente a o parto natural e domiciliar. Daí estar o parto humanizado tão associado a parto natural e domiciliar.

 

Entretanto, parto humanizado não se identifica com essas formas de parto, mas, como dissemos acima, com a abordagem ao parto. Pois, posto que nossa realidade humana não funciona segundo o ideal, temos “n” situações em que o parto completamente natural (sem intervenção alguma) e domiciliar não são possíveis ou desejáveis. Mesmo assim, os critérios de protagonismo feminino, fisiologia do parto e empoderamento feminino podem e devem ser levados em consideração.

 

Graças ao movimento pela humanização do parto descobre-se sempre mais o quanto o parto é um evento de altíssimo significado psicológico e espiritual para a mulher, seu filho e o casal. É com esta perspectiva em mente que é preciso pensar o parto para conduzi-lo da forma mais respeitosa possível, seja em termos de sua fisiologia como de sua humanidade. 

 

Daí a importância de fazer uma boa preparação ao parto, que deve incluir seja informações sobre como funciona o parto como também, e sobretudo, o preparo psico-emocional e espiritual para a chegada do bebê e a maior mudança de nossas vidas. 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Featured Posts

ONDE ESTÁ?

July 6, 2017

1/1
Please reload

Recent Posts

April 20, 2020

December 2, 2019

Please reload

Archive
Please reload

Search By Tags