PERGUNTAS SOBRE O PARTO QUE TODA MULHER TEM E POUCAS FAZEM


"Olá Adriana,

da ultima vez que lhe enviei algumas perguntas sobre o parto normal fiquei muito feliz pelo fato de ter recebido respostas e também por elas serem bem diretas e sinceras. Você me passou mais segurança e me fez ter mais certeza em ter parto normal, mas infelizmente surgiram outras duvidas... Adoraria que você pudesse esclarecê-las!

1) Devido à força feita durante o parto normal, qual a chance em porcentagem da mulher passar a ter hemorroidas?

2) Mulheres que tiveram parto normal terão problemas de bexiga?

3) Eu sou muito curiosa quanto ao meu corpo, por isso o conheço muito bem. Aparentemente o "buraco" vaginal é muito pequeno para saída de um bebê. Como já assisti a varios partos normais pela internet, já entendi que é possivel. Mas, depois, não vai ficar "largo"? Pois, se eu não receber o tal "cortinho", vai ter de esticar... Então, vai voltar a ser pequeno de novo? Mesmo sem o "cortinho"? Não seriam necessários os pontinhos para diminuir o tamanho a que chega a vagina?

4) Seria possivel uma anestesia localizada, apenas na área da vagina, ao redor do "buraco" por onde o bebê vai passar?

5) Se for necessário fazer o "cortinho", quando for para dar os pontos a região será anestesiada? Podera ficar alguma cicatriz visivel?

6) Estou de 31 semanas. Até quando posso continuar tendo relações sexuais? E, após um parto normal, quanto tempo deve-se passar sem ter relações sexuais?

7) O que ocorre em um parto normal em que a mulher sente as contrações e já tem a "abertura total" necessária, mas a bolsa não estourou?

8) É necessário que se abra os 10 cm para a saída do bebê? Esses 10cm fecham completamente depois? Em quanto tempo?

9) Após a retirada do bebê, sera retirado o que mais exatamente de dentro de mim? E quanto tempo depois da saída do bebê eu terei uma diminuição significativa das dores?

Obrigada por responder às minhas perguntas. Apesar de algumas serem "bestas", como mãe de primeira viagem e muito medrosa e curiosa... prefiro ir até à sala de parto normal sabendo de tudo que vai ou pode vir a acontecer comigo. Novamente, muito obrigada pela atenção e pelo esclarecimento de minhas duvidas!

Angélica"

Querida Angélica, nenhuma pergunta é "besta", você tem todo o direito de saber como funciona um evento tão importante em sua vida e o que vai acontecer com você após entrar na sala de parto. É revelador que todas essas questões não foram enfrentadas com quem deveria ser seu guia nesse processo: o ou a obstetra. Preocupados com números (hora, medições e ganhos) e com o cumprimento de uma rotina pré-determinada (que se tornou burocrática e impessoal: exames e etc.), o profissional perdeu a relação com a pessoa que atende, à qual se resume em mais um objeto a ser "tratado" e "resolvido".

Sobra para leigos, militantes da humanização e engajados no empoderamento da mulher, tentar algumas respostas que, porém, não devem ser pegas como substitutas do parecer de um profissional competente e humanizado. Vamos às respostas, então.

1) Devido à força feita durante o parto normal, qual a chance em porcentagem da mulher passar a ter hemorroidas?

Isto depende da mulher, da condições de seus músculos e veias, mas também depende de como o período expulsivo será conduzido. É importante entender que os puxos são rítmicos e não contínuos. Você não vai ficar fazendo força até explodir! Acima de tudo, deve seguir o movimento do seu corpo. Você sentirá quando é hora de empurrar e quando é hora de parar. Respeite esse instinto. Saiba fazer força e saiba parar, com calma.

2) Mulheres que tiveram parto normal terão problemas de bexiga?

É um preconceito e uma calunia esssa idéia de que a bexiga "caia" por causa do parto normal. O abaixamento da bexiga, que pode levar à incontinência urinária (leve ou grave) ocorre por causa do peso do bebê sobre a mesma. Não está relacionada ao tipo de parto. Quando há incontinência esta pode ser resolvida através dos exercícios de Kegel (contraia os músculos do assoalho pélvico como se estivesse segurando o xixi por um segundo e os relaxe por dois. Repita várias vezes seguidas. É rápido, simples e ninguém percebe o que está fazendo).

3) Eu sou muito curiosa quanto ao meu corpo, por isso o conheço muito bem. Aparentemente o "buraco" vaginal é muito pequeno para saida de um bebê. Como já assisti a varios partos normais pela internet, já entendi que é possivel. Mas, depois, não vai ficar "largo"? Pois se eu não receber o tal "cortinho", vai ter de esticar... Então, vai voltar a ser pequeno de novo? Mesmo sem o "cortinho"? Não seriam necessários os pontinhos para diminuir o tamanho a que chega a vagina?

Querida, nossa vagina pode ampliar-se e voltar a reduzir-se ao tamanho inicial! Ela não é um tubo de cimento e sim é um músculo que suavemente se dilata e volta a contrair-se, como na inspiração e expiração, ou como na relação sexual. O tal "cortinho", ou seja a episiotomia, é uma violência contra o assoallho pélvico porque, enquanto a laceração comum rasga tecidos superficiais que recuperam-se às vezes sem nenhum ponto, a episiotomia corta em profundidade os músculos. Como todo corte e costura, isso produz a fraqueza e a rigidez do tecido.

4) Seria possivel uma anestesia localizada, apenas na area da vagina, ao redor do "buraco" por onde o bebê vai passar?

Para quem precisa de uma anestesia ao redor da vagina? Para não sentir seu bebê sair? Para algumas mulheres este é o momento melhor do parto. Algumas chegam a ter orgasmos! Não, não há anestesia desse tipo no parto normal porque seria inútil. A dor do parto é aquela provocada principalmente pelo trabalho de parto, ou seja, pelo que vem antes do bebê estar finalmente saindo.

5) Se for necessário fazer o "cortinho", quando for para dar os pontos a região será anestesiada? Podera ficar alguma cicatriz visivel?

Nesse caso sim, pode haver anestesia local para costurar o corte.

6) Estou de 31 semanas. Até quando posso continuar tendo relações sexuais? E após um parto normal, quanto tempo deve-se passar sem ter relações sexuais?

Poe continuar ter relações sexuais até o momento do parto! Somente no caso da bolsa estorar é que deve interrompê-las; caso contrário, esta pode ser a melhor preparação na iminência do parto. Relaxa e estimula o trabalho de parto. No pós partos, resguarda-se por algumas semanas (mínimo 3), dependendo de cada mulher e do tipo de parto que ela teve.

7) O que ocorre em um parto normal em que a mulher sente as contrações e já tem a "abertura total" necessária mas a bolsa não estourou?

Não tem problema algum. O bebê nasce dentro da bolsa - dizem que assim nascem as pessoas de sorte.

8) É necessário que se abra os 10 cm para a saída do bebê? Esses 10cm fecham completamente depois? Em quanto tempo?

Sim, é necessário. Como já disse, a abertura vaginal volta ao seu normal após umas poucas semanas do parto. Os exercícios de Kegel ajudam.

9) Após a retirada do bebê, será retirado o que mais exatamente de dentro de mim? E quanto tempo depois da saída do bebê eu terei uma diminuição significativa das dores?

Angélica, seu bebê não vai ser retirado. Ele vai nascer. Ele vai cumprir o ato heróico de nascer. É um movimento ativo. Após ele sair, vai ser a vez da placenta ser expulsa. A placenta é o órgão que seu corpo produziu para manter em vida seu bebê mediando alimentos e oxigênio entre você e ele. Após um parto vaginal natural as dores passam imediatamente. Se sofrer uma episiotomia irá sentir as dores do corte e da costura. Se for cesárea, mais ainda.

Espero ter esclarecido suas dúvidas. Desejo-lhe um ótimo parto!

Um abraço.

Adriana Tanese Nogueira, Psicanalista, filósofa, autora, educadora perinatal, fundadora da ONG Amigas do Parto. www.adrianatanesenogueira.org

#Partopreparação

Featured Posts
Recent Posts
Archive
Search By Tags
Nenhum tag.
Follow Us
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

© 2018 Amigas do Parto

  • Facebook Basic Black
  • Instagram Basic Black
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now