AUTOESTIMA E EXPERIÊNCIA DE PARTO POSITIVA

A auto-estima e o empoderamento podem ser afetados pela quantidade de apoio que a futura mãe recebe, como ela se prepara para o trabalho de parto, e a aceitação de seus sentimentos antes, durante e após o nascimento. Inversamente, um medo intenso, sem o devido apoio e confiança, pode ter uma influência negativa no trabalho de parto, deixando-o mais lento ou transformando-o numa experiência difícil e até mesmo

traumática. É normalmente neste momento de dificuldade que o grupo do hospital decide usar a anestesia, ao invés do relacionamento humano, para alívio. A auto-estima resulta de um sentimento de domínio não somente do trabalho de parto, mas da transição que este visa. Sem este sentimento de domínio, as mulheres podem se sentir menos competentes ao vislumbrar a maternidade, contribuindo para a depressão. A experiência do parto ajuda a moldar quem somos e o que pensamos sobre nós mesmas. Quando uma mulher está se preparando para o parto, as seguintes perguntas podem ajudá-la a desenvolver este senso de domínio, que contribui para uma auto-estima positiva e empoderamento:

1. Você sente que é uma participante ativa de todo o seu processo de parto, incluindo o processo de tomada de decisão?

2. Você sente que suas emoções sobre o processo do parto são aceitáveis, e que seu medico apóia seu direito de expressar livremente quaisquer sentimentos emocionais ou físicos antes, durante e após o nascimento?

3. Você está preparada de maneira realista para lidar com a dor do parto? Você tem acesso a técnicas ativas para lidar com a dor (para o trabalho de parto ativo) além de mero relaxamento (que é mais útil durante o início do trabalho de parto)?

4. Você e seu grupo de apoio reconhecem que você, a parturiente, não precisa estar e nem se espera que esteja no controle do processo, do bebê, ou do resultado do trabalho de parto? Vocês todos reconhecem que você, a parturiente, é somente responsável por fazer seu melhor para lidar com o poder das contrações da maneira que você as estiver experimentando? Vocês todos reconhecem que se uma cirurgia ou outros tipos de intervenção ou medicação forem desejadas ou necessárias – quer vocês tenham previsto ou não – vocês têm direito a uma assistência respeitosa e a uma resposta às suas necessidades físicas e emocionais?

5. Você sente que teve ampla oportunidade de expressar seus sentimentos sobre maternidade, incluindo a experiências dos relacionamentos familiares de sua própria infância?

6. Você sente que teve ampla oportunidade de expressar seus sentimentos sobre as circunstâncias envolvendo seu próprio nascimento, outros partos que sua mãe teve, e quaisquer outras gravidezes anteriores e experiências de parto que você possa ter tido?

7. Você e seu parceiro já exploraram os modelos de comportamento que receberam de seus respectivos pais, com relação a assuntos de intimidade, resolução de conflitos, e expectativas de cuidados com os filhos? Cada um de vocês pode desenvolver seus próprios planos e valores para seu relacionamento como parceiros e como pais?

As mulheres e suas famílias precisam de apoio durante esta transição de suas vidas. Quando você recebe uma oportunidade de integrar o processo de dar à luz e de se tornar mãe, tanto o parto quanto a adaptação pós-parto fluem mais suavemente.

Gayle Peterson, MSSW, PhD, é medica em Berkeley, California. Texto adaptado de Making Healthy Families (“Fazendo Famílias Saudáveis”), capítulo 3, "Pregnancy and Childbirth: Opportunities for Empowerment" (“Gravidez e Parto: Oportunidades de Empoderamento”). Mothering – Março/Abril, 2000

Tradução por Andressa Fidelis.

#Partopsicologia

Featured Posts
Recent Posts
Archive
Search By Tags
Nenhum tag.
Follow Us
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

© 2018 Amigas do Parto

  • Facebook Basic Black
  • Instagram Basic Black
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now