QUAL A POSIÇÃO MAIS FAVORÁVEL PARA O BEBÊ ESTAR NO MOMENTO DO NASCIMENTO?

Ginecologista e obstetra

A melhor posição para o seu bebê estar quando você entrar em trabalho de parto é de cabeça para baixo, com a nuca ligeiramente direcionada para a parte da frente da mãe. Nesta posição, ele se encaixa perfeitamente na pelve materna e facilmente move-se para baixo durante o trabalho de parto. Quando ele chega à parte mais baixa pelve materna, gira um pouco sua cabeça para que a parte mais larga da cabeça esteja dentro da parte mais larga pelve. A nuca pode então escorregar por baixo do osso pélvico, e seu rostinho passar através do períneo, que é a região que fica entre a vagina e o ânus.

Um bebê que tem a nuca direcionada para o abdômen da mãe está numa posição ANTERIOR. Na posição anterior, o trabalho de parto é quase sempre mais curto e mais fácil.

O que é posição posterior?

Alguns bebês descem para a pelve com a nuca direcionada à coluna materna. Isto é chamado de posição POSTERIOR e pode levar a uma série de acontecimentos:

- Você tem dor nas costas durante e no intervalo das contrações.

- O trabalho de parto é mais lento.

- Você pode precisar de fórceps ou vácuo extrator (um aparelho de sucção) para ajudar seu bebê a nascer.

- Sua bolsa pode romper-se no início do trabalho de parto.

A grande proximidade entre os ossos do crânio do bebê e a coluna materna pode ser desconfortável, e você pode sentir que a melhor posição para o seu trabalho de parto é de quatro, com mãos e pés no chão. Nesta posição, seu bebê fica mais longe da sua coluna, aliviando a dor nas costas.

Quando seu bebê chega à parte mais baixa da sua pelve, ele precisará girar 180 graus para ficar na melhor posição para nascer. Isto pode levar um bom tempo, ou o seu bebê pode decidir que não vai virar! Neste caso, ele vai nascer com o rostinho olhando parar você (para cima) conforme ele for saindo. Ou ele pode precisar do fórceps ou da ventosa para ajudá-lo a sair.

Por que alguns bebês ficam em posição posterior?

Parece que as mulheres ocidentais têm muito mais tendência a ter bebês posteriores do que as mulheres que trabalham de maneira tradicional nos campos, ou inclinando-se para frente para ficar de olho em suas panelas! Então o estilo de vida parece ser a principal de causa de bebês posteriores. Não é difícil entender porquê. Quando você está sentada em seu carro, ou encurvada numa poltrona confortável assistindo televisão, ou trabalhando em um computador por muitas horas, sua pelve está virada para trás. Isto é sempre verdadeiro se você está numa posição na qual seus joelhos estão elevados acima do nível da sua pelve.

Quando a sua pelve está virada para trás, as partes mais pesadas do seu bebê, que são a nuca e a coluna, também tenderão a virar para a parte de trás. Então ele acaba em uma posição posterior, apoiado na sua coluna. Se você tem um estilo de vida que envolve poucas oportunidades para ficar sentadas e muitas atividades em posição ereta, seu bebê tem muito mais chances de descer para sua pelve numa posição anterior porque sua pelve está sempre virada para frente.

Como ajudar seu bebê a ficar numa posição anterior

Há muita conversa hoje em dia sobre como fazer com que o bebê entre na cavidade pélvica numa posição anterior ao invés de posterior. Isto se chama “posicionamento fetal ótimo”. Você pode encorajar seu bebê a tomar uma posição anterior certificando-se de que seus joelhos estejam sempre mais baixos que seus quadris:

- Sente-se numa almofada no seu carro para levantar seu bumbum.

- Verifique se a sua cadeira favorita não faz com que seu bumbum fique para baixo e seus joelhos para cima.

- Faça pausas regulares e mexa-se se seu trabalho envolve ficar sentada muito tempo.

- Assista televisão de quatro por dez minutos todos os dias.

- Escove o chão e todas os seus rodapés – nossas avós costumavam dizer que lavar o chão da cozinha era uma excelente maneira de se preparar para o trabalho de parto. E elas estavam certas! Quando você fica de quarto, a nuca do seu bebê vira-se para a parte da frente do seu abdômen.

A propósito, você não precisa se preocupar com o posicionamento do seu bebê quando estiver na cama. Quando você está na posição horizontal, seu bebê não está sendo empurrado para a sua pelve. É quando você está em pé que ele entrará na cavidade pélvica numa posição anterior ou posterior.

Preparando-se para o trabalho de parto

Se você está esperando seu primeiro filho, você deveria começar a adotar o estilo de vida descrito na seção anterior por volta da 35ª semana de gravidez. É nesta época que o bebê “afunda” na sua pelve, e esta é a hora que você pode ajuda-lo a encaixar na posição certa. Se você está esperando seu segundo filho, apesar de o bebê não encaixar na sua pelve até mais tarde, ainda é melhor tentar manter suas costas em direção à parte da frente do seu abdômen a partir da 35ª semana.

Algumas vezes as mulheres têm muitas dores, bastante desconfortáveis, por vários dias antes que o trabalho de parto efetivamente comece. Elas podem ser muito cansativas. Entretanto, estas dores podem ser devidas ao fato de que seu bebê está tentando virar de uma posição posterior para uma anterior. A melhor maneira de lidar com elas é tentar descansar o máximo possível durante a noite, e durante o dia manter-se ereta e ativa, inclinando-se para frente durante as dores. Coma e beba regularmente para manter a sua força. E não desespere. A Natureza está virando o seu bebê na melhor posição para o parto.

Como eu posso melhorar a posição do meu bebê durante o trabalho de parto?

As mulheres instintivamente sabem como conduzir seu trabalho de parto se elas forem deixadas sozinhas e à vontade. Entretanto, dar à luz num hospital às vezes significa que é mais difícil fazer o que seu corpo lhe pede para fazer por causa da falta de espaço na sala de parto ou porque você tem que se deitar para que vários procedimentos sejam feitos. Tente:

- Manter-se ereta o maior tempo possível.

- Evitar deitar-se na cama por qualquer período de tempo.

- Inclinar-se para frente durante suas contrações.

- Pedir ao seu acompanhante de parto que massageie suas costas.

- Balançar sua pelve durante as contrações para ajudar o seu bebê a virar enquanto passa pela pelve.

- Evitar sentar-se numa cadeira ou numa cama numa posição reclinada para trás.

Fact-checked by the BabyCentre Editorial Team and approved by our Medical Advisory Board

Fonte: http://www.babycentre.co.uk/refcap/544493.html#2

****

Dada a tendência que caracteriza nossos tempos modernos a transformar tudo em patologia, seguem abaixo algumas observações para melhor entendimento dessa questão.

Comentários sobre o artigo

O posicionamento fetal dentro da pelve materna se chama insinuação e ocorre nas mães de primeira viagem cerca de 15 dias antes do parto. A preocupação com uma boa insinuação é válida, porém, não é necessário que as futuras mamães fiquem muito apreensivas com mais esta variante do parto, pois, apesar do estilo de vida urbano que atualmente a maioria das gestantes têm, cerca de 90% de seus bebês se insinuam em posição favorável ao nascimento!

É claro que todas as dicas oferecidas no artigo acima são válidas e podem ajudar, mas não são determinantes. Nas mulheres que já tiveram pelo menos um filho a insinuação costuma acontecer durante o próprio trabalho de parto ou quando ocorre a ruptura da bolsa das águas ou ainda somente quando a dilatação já está completa. Portanto não é necessário ficar nervosa se seu médico disser que seu bebê ainda não encaixou, isso é normal.

Uma das explicações para o elevado índice de insinuação com bom posicionamento da cabeça fetal seria a adaptação do útero, que durante a gestação fica torcido para a direita fazendo com que sua metade esquerda fique para diante. A observação mostra que a maioria dos fetos acomoda suas costas do lado esquerdo do útero, justamente onde está torcido, assim sendo tanto as costas quanto a nuca do bebê ficam discretamente voltadas para frente.

Além do posicionamento anterior ou posterior das costas e da nuca fetal, o bebê deve ter seu queixo encostado em seu peito (flexão da cabeça) para insinuar-se na pelve com a nuca e não com o topo da cabeça, que é maior que a nuca. Esta flexão ocorre como resultado da pressão da cabeça contra a musculatura e ligamentos da pelve, tal pressão acontece graças às contrações uterinas que ocorrem a partir do sétimo mês e também pela força da gravidade. É por isso que manter-se na posição ereta facilita uma boa insinuação fetal, pois faz com que a parte mais pesada do feto, a cabeça, fique para baixo, além disso a pressiona contra o fundo da pelve para obter a flexão e também faz com que o útero fique deslocado para frente posicionando as costas do feto para diante do corpo da mãe.

Uma última observação é em relação aos formatos das pelves. Existem algumas que se adaptam melhor ‘a insinuação na posição fetal posterior. Neste caso, o trabalho de parto pode ser mais demorado. Caso você descubra durante seu trabalho de parto que seu bebê está numa posição posterior, mantenha a calma e siga as dicas acima sugeridas. Será preciso só um pouco mais de paciência e seu bebê nascerá!

#posicaodofeto

Featured Posts
Recent Posts
Archive
Search By Tags
Nenhum tag.
Follow Us
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square