O QUE É IATROGENIA?

A palagra "iatrogenia" deriva do grego "iatros", médico, e "genea", origem. Chama-se iatrogenia toda alteração do estado do paciente produzida pelo médico. Onde por "alteração do estado do paciente" não se entende aquela alteração agradável de quando se passa da doença para a saúde, mas muito pelo contrário. Iatrogenia é a produção de estados patológicos ou alterações do funcionamento normal do corpo humano causada pela intervenção médica. Lembramos que segundo Hipócrates =ao optar por um tratamento, a primeira consideração que o médico deve ter em mente é a de evitar o dano: "Priman non nocere" (em latin: "Em primeiro lugar não prejudicar").

Em obstetrícia, a iatrogenia é visível em todas as alterações do parto fisiológico produzidas pela intervenção médica, as quais alterações levam a mais intervenções. Exemplo disso é a episiotomia. Pelo fato da mulher estar deitada ou semi-reclinada, o canal vaginal é estreitatado, o quadril está em posição inclinada para cima tornando a descida do bebê mais difícil. A força de gravidade é eliminada e as possibilidades de lacerações do períneo consequentemente são mais altas. Desta forma, se justifica a necessidade de realizar uma episiotomia.

O problema, portanto, não é se a episiotomia é ou não necessária no parto normal tradicional (que vê a mulher numa posição passiva). O problema é que o inteiro quadro inteiro errado. Uma mulher ativa e em posição vertical terá altíssimas chances de não necessitar de episiotomia. É a forma como o parto é entendido e praticado que leva à causar danos perfeitamente evitáveis.

A episiotomia é uma iatrogenia provocada pela intervenção (desnecessária) médica que distorce o parto fisiológico e o torna medicalizado.

Adriana Tanese Nogueira, Psicanalista, filósofa, autora, educadora perinatal, fundadora da ONG Amigas do Parto. www.adrianatanesenogueira.org


Featured Posts
Recent Posts
Archive
Search By Tags
Nenhum tag.
Follow Us
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square