DOULAR À DISTÂNCIA: É POSSÍVEL?

Dizia o poeta que "tudo é grande se a alma não for pequena". Quando uma pessoa é competente e sabe o que faz, pode doular à distância, sim. É o caso que ocorreu recentemente com a doula Mara Freire. Ela acompanhou via msn, sem ter nunca encontrado a grávida, nem sequer vê-la via câmera, seu trabalho de parto que resultou num feliz parto natural hospitalar após uma cesárea.

 

A gestante estava com 41 semanas e 4 dias e sua médica já agendando uma nova cesárea. Como é frequente nesses casos, o trabalho de parto não começava. Frequente por que? Como imaginam que está uma mulher nessas condições? Ansiosa. Assim estando, o trabalho de parto não pode acontecer.

 

Mara deu um jeito nisso e acompanhou seu progredir até "sentir" que a grávida devia estar com 7/8 centímetros de dilatação e que era melhor ir ao hospital. Lá a enfermeira confirmou o diagnóstico virtual da Mara e antes mesmo que fosse possível preparar a sala parto, o bebê nasceu.

 

Segue um trecho do depoimento da mulher vitoriosa:

 

"Maternidade: Casa de Saúde de Santa Marcelina – Itaquera – SP


Data: 02/01/10 (41 1/7)
Horário: 05:36
Peso: 3.250Kg
Medida: 51cm
A dpp era para 25/12/09

Estava hiper bem e graças a Rebeca e a Mara agüentei bem em casa, só   esperando o Lucas... Falei com elas pelo MSN no dia primeiro e a Mara me deu algumas dicas de como ajudar o TP...rsrrsrs algumas eu segui e deu tão certo que deitei quase a uma e acordei as duas da manhã com contrações bem dolorosas de 5/5 min. Fui para o chuveiro sentia a necessidade de um banho, pedi para meu marido marcar as contrações e falar com a Mara, ela sugeriu ir para o hospital e pela hora e andar da carruagem ela não teria como chegar a tempo aqui...fui arrumar as bolsas e chamei meus pais para virem ficar com a Giulia.

Chegamos a maternidade já passavam das 04:00hs o médico me examinou e informou que já estava com quase 7cm de dilatação, essa noticia foi a Glória pra mim, foi o empurrão que eu precisava pra continuar perseverando meu sonhado parto, meu marido foi cuidar da internação e eu encaminhada para a sala de espera, a enfermeira vendo que eu caminhava sem parar e sentia muitas dores me levou para a sala de pré parto, após a internação liberada pelo convenio eu seria encaminhada para a sala de parto que tem banheira, chuveiro, bola, etc....pena que nem cheguei a usar as 05:00hs eu já estava com dilatação quase total e meu marido tinha acabado de voltar, a enfermeira nos informou que não nos levaria para a sala pois não daria tempo.

As 05:20 já com dilatação total ela rompeu a bolsa, e as 05:36 o Lucas veio para meus braços lindo, lindo...num lindo parto natural hospitalar, isso mesmo natural não teve nenhuma intervenção...
Abraços
Alessandra mãe da Maravilhosa Giulia (cesárea) de 1 ano e 3 meses e do Lindo Lucas (PNH) 6 dias mamando e dormindo muito..."

Entretanto, como tudo na vida, é preciso de ter muito bom senso. Ao escolher sua doula assuma sua responsabilidade e siga sua intuição. Há muito entusiasmo não fundamentado em fatos, muita conversa baseada em princípios (veja a este propósito meu livro "Conte-me seu parto e lhe direi que deusa é") que na realidade individual e pessoal de cada mulher não funcionam. Infelizmente, há muitos episódios que o demonstram.

Doular é uma arte.



Adriana Tanese Nogueira, Psicanalista, filósofa, autora, educadora perinatal, fundadora da ONG Amigas do Parto. www.adrianatanesenogueira.org

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Featured Posts

ONDE ESTÁ?

July 6, 2017

1/1
Please reload

Recent Posts

April 20, 2020

December 2, 2019

Please reload

Archive
Please reload

Search By Tags