PARA QUE SERVE A DOULA PÓS-PARTO?

O parto constitui-se num processo de transição que coloca um ponto final no estado da gravidez e dá início ao puerpério ou pós-parto. Durante os longos meses de gestação, a mulher foi se adaptando às transformações internas e externas que ocorriam lenta e gradualmente. Todos à sua volta eram-lhe solícitos aos seus desejos e cuidados, ela era o centro das atenções.

 


Com o nascimento do bebê, nasce uma família. As mudanças são bruscas e tudo muda em

sua vida. Ocorre, então, uma mistura profunda de sentimentos: alívio e euforia por já terem passado pela experiência do parto e por ter sido constatado que o bebê nasceu perfeito e saudável, o que aumenta sua autoconfiança por ter sido capaz de procriar bem. Quando o bebê é apresentado aos pais, todas as atenções se voltam para ele. Muitas vezes surgem sentimentos de frustração com o filho, por ser diferente do idealizado seja pelo sexo ou mesmo pela aparência física, ou até mesmo um  diagnostico de alguma patologia. Ao olharem para aquele ser tão pequeno e indefeso, totalmente dependente e ainda desconhecido, é que os pais sentem o profundo impacto do compromisso assumido para toda a vida, o que os torna fragilizados e assustados.

 

A mãe neste período passa por diversas angustias:

 

 

- A amamentação: Vou ter leite o suficiente? Até quando amamentar? Vai doer? Vou agüentar acordar e amamentar?,

 

- Estar sozinha: Os medos de assumir responsabilidades, visitas e comemorações afetam esta angustia a fazendo ficar com mais perguntas ao seu redor,

 

- O corpo:  Confronto com o corpo atual é um aspecto difícil a ser superado, pois já havia se acostumado com a imagem do corpo grávido, um vazio dentro dela que não sabe por que sente,

 

- Abstinência sexual: Vem fortalecer o sentido de fealdade na mulher, de perda da sensualidade e do poder de sedução e que a leva, muitas vezes, a suspeitar da fidelidade do companheiro.

 

             

Estes e ainda outros fatores, (fadiga, prisão de ventre, depressão, sangramentos, desconfortos e contrações) que nos faz observar que, o pós-parto é um período muito delicado, porém riquíssimo em aprendizagens. 

 

A doula pós-parto faz o que for necessário para que a mãe possa cuidar e apreciar o seu novo bebê, prestando apoio emocional e físico. Apoia a mãe e os restantes membros da familia a transmitirem calmamente para a sua nova situação familiar. No pós-parto, além de mãe de mãe a doula é também  mãe da família, cuidando desta no seu todo e apoiando cada elemento. Os serviços variam de acordo com as necessidades da mãe. Amamentação, cuidados com a rotina domestica e a cuidar dos outros filhos do casal, informações sobre puericultura e ajudar o parceiro e outros filhos do casal a apoiar a mãe. A doula encoraja a mãe a cuidar de si mesma e do seu bebê, para que ambos passem mais e melhor tempo junto, verifica também se a mãe esta bem alimentada, hidratada, confortável, ajudando–a no puerpério.

 


“...Quando a mulher se entrega à maternidade com esta atitude amorosa e ativa ao mesmo tempo, ela está aberta a perceber todo o aprendizado que a experiência implica. De alienação social como foi e ainda é para muitas mulheres, a maternidade se torna um caminho espiritual de autoconhecimento com inevitáveis repercussões sociais. Etapas da própria infância, parto e vida uterina são revividas, tendo-se a oportunidade de reconhecê-las e sarar feridas. Situações pendentes que permaneceram inconscientes podem ser acolhidas e transformadas. O amor incondicional que damos ao nosso filho é espelhado por aquele que damos a nós mesmas ao nos reencontrarmos com o que temos dentro. E vice-versa, o amor que conseguimos dar é na exata proporção àquele que conseguimos liberar de dentro de nós, ao superar nossos traumas, dificuldades, problemas insolutos, dúvidas contraproducentes, baixa auto-estima, etc. 
 

O que oferecemos, recebemos. O que ensinamos, aprendemos. A qualidade do amor dado retorna Multiplicado. Amor que é educação, autoconhecimento e atitude propositiva no mundo...” (Adriana Tanese Nogueira).

 

Que meu amor liquido que hoje transborda em mim saia e transmita em vários corpos a serem doulados por mim e por si mesmos. SERVIR UNS AOS OUTROS – DOULAR

 

 

Nome: Mércia Nelly de Morais

 

Idade: 30 anos

 

Profissão: fisioterapeuta e artesã e coordenadora do projeto Recanto Mãe Coruja 

 

Curso: Formação de Doulas Pós-Parto

 

Turma: 2011 – Segundo Semestre

Email: recandomaecoruja@gmail.com 

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Featured Posts

ONDE ESTÁ?

July 6, 2017

1/1
Please reload

Recent Posts

April 20, 2020

December 2, 2019

Please reload

Archive
Please reload

Search By Tags