TERIA ESCOLHIDO UM PARTO DOMICILIAR

August 27, 2019


O que você pensava que era ser mãe e o que pensa hoje?

Responsabilidade e dedicação. Já pensava isso antes de parir.

O que mudou mais foi a relação com a família, pois tinha a crença de que a criança deveria participar de todos os eventos familiares, assim como deveria tratar a todos com carinho e atenção. Hoje acho que a criança não deve nada, e que se algum familiar deseja carinho e atenção precisa ralar para merecer o carinho da criança e só terá atenção quando ela assim desejar!


Recebeu ajuda do pai de seu filho? Gostaria ter recebido mais ou foi boa?

Foi boa, acho até que ótima, mas eu gostaria de ter recebido mais. :-)


Sua família e/ou a dele colaborou? Você sentiu a presença deles como uma ajuda de verdade?

Colaboraram. No entanto, apesar deles estarem presentes, eu me sentia sozinha.


O que gostaria que tivesse planejado melhor para o pós-parto?

Lido mais sobre o tempo do leite descer e formas de acalmar o choro do bebê. Gostaria ainda de ter contado com alguém para arrumar a casa e fazer minhas refeições diariamente.


Sente-se protegida pelas leis trabalhistas como mãe puérpera?

Pelas leis sim, não pelos empregadores.


Se pudesse o que faria diferente?

Muita coisa. Agora só consigo pensar em três, mas que alterariam praticamente tudo:

1) Teria um parto domiciliar - que não tive, principalmente pq detestava a casa em que eu morava;

2) Entraria em uma "toca" até a bebê ter 4 meses - não receberia visitas e quem chegasse seria incubido de uma tarefa doméstica, não sairia de casa, teria muitos livros e programas de TV para assistir; 

3) Teria pessoas cuidando da casa.

 

Ingrid Lira Rocha, Psicóloga, Mãe da Iúna - 19 meses. O depoimento de parto de Ingrid está aqui.

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Featured Posts

ONDE ESTÁ?

July 6, 2017

1/1
Please reload

Recent Posts

April 20, 2020

December 2, 2019

Please reload

Archive
Please reload

Search By Tags