UM PRESENTE DOS CÉUS

August 28, 2019

Eu mudei: antes vivia com um sentimento de culpa porque não me sentia suficientemnte adequada para ambos meu aspectos (a de profissional e a de mãe). Agora alcancei uma maior segurança e autostima, e o sentimento de culpa diminuiu: esta alì, no cantinho, mas tento esquivar-me!



Nome: Yara Bossi

Idade: 36

Profissão: profissional liberal

Quantos filhos: 3

Ano de nascimento dos filhos: 2000/2002-2002 (gêmeas)

Cidade onde vive: Milão

Estado/País: Itália

E-mail de contato: yarabossi@hotmail.it

Autoriza a publicação: Sim

Data de preenchimento do questionário: 23/02/2007


Que "tipo" de parto você teve?

Três partos naturais.


Quando pensa em seus partos qual a primeira palavra que lhe vem à mente?  Por que?

Uma força da natureza (e eu era aquela força!).


Sentiu-se respeitada pela equipe profissional que a atendia?

Sim, foi super: no primeiro parto estava na minha casa, entre minhas coisas, minha geladeira! meu banheiro... legal, não?


E pelo pai de seu/sua bebê?

Sim.


E pela sua família de origem?

Meu pai não concordava: é medico...!


Amamentou seu/sua bebê?

Sim.


Até quantos meses?

O primeiro até 1 ano, as gêmeas até os 13/14 meses.


Encontrou dificuldades em amamentar? Quais?

Com o primeiro, não sabendo o quanto precisava descansar, no 3° mês perdi muito peso e a tranquilidade etc, mas falei com a minha obstetra (que estava ao meu lado no momento do nascimento do meu filho) e encontrei soluções muito boas.


Sua visão da maternidade mudou após o parto?

Não, às vezes é um pouco pesado, mais não perdi a alegria.


Como você se via como mãe nos primeiros meses de vida de seu/sua filho/a?

Um pouco sozinha e com muitas perguntas.


O que você pensava sobre a maternidade durante a gestação e depois do parto?

Um sonho, um desejo que tinha desde sempre e que em fim tive a sorte de realizar.


Mudou de opinião nos meses a seguir?

Não.


Quais são, a seu ver, os maiores desafios que uma mulher encontra ao se tornar mãe?

A dificuldade de manter seu mundo como mulher, de ser reconhecida não somente como mãe mas como a pessoa que sempre foi também.


Quais dificuldades você encontrou ao cuidar de um recém-nascido?

Inicialmente é preciso aprender a conhecer a nova pessoa que é teu filho, às vezes é difícil entendê-lo em "seu próprio idioma".


O que seu filho/sua filha exige mais de você?

Atenção: tendo 3 o tempo livre diminui bastante...


Você já tinha algum conhecimento ou experiência prévia?

Aquela de amigas: gosto de crianças, mas claramente não é a mesma coisa que ser mãe: este conhecimento só vem com a experiência...


Sua relação com o pai de seu/sua filho/a mudou em consequência da maternidade? Como e por quê?

Sim: ele não estava preparado, tornou-se pai aos 43 anos, é filho unico e virou um pouco ciumento.


Sentiu-se acolhida por sua família de origem em sua nova dimensão?

Totalmente.


E pelo ambiente social?

Na Itália voltou-se a ter filhos por volta de 2000: entre as amiga eu fui a primeira, aos olhos de todos eu era especial.


Se trabalha, como lidou com seu trabalho?

É duro, mas gostando do meu trabalho, me organizo.


O que acha da licença maternidade? É suficiente?

Sendo autônoma no meu trabalho, não tenho isso.


Encontrou obstáculos para dar continuidade à sua vida profissional? Quais?

Minhas sócias, não tendo filhos, às vezes não me entendem: é difícil, mas gosto do que faço e tento encontrar um meio termo.


Notou mudanças de seus colegas e/ou chefia após tornar-se mãe?

Eu mudei: antes vivia com um sentimento de culpa porque não me sentia suficientemnte adequada para ambos meu aspectos (a de profissional e a de mãe). Agora alcancei uma maior segurança e autostima, e o sentimento de culpa diminuiu: esta alì, no cantinho, mas tento esquivar-me!


Como você vê a maternidade na sociedade atual?

Na Itália a mulher tem pouca ajuda, há poucos serviços e, muitas vezes, as avós trabalham ou moram longe.


Você se sente uma mulher diferente hoje? Por quê?

Sou uma força da natureza, graças aos meus 3 tesouros.


Como mudou sua visão do mundo e da sociedade na qual vive?

Senti um pouco mais de apreensão, sobretudo sabendo que não posso estar ao lado dos filhos em todos os momentos; porém sempre procurei estar inteirada dos problemas do mundo e da sociedade em que vivo, partecipei ativamente de alguns serviços, não somente porque tinham algo a ver comigo, mas porque eram parte da realidade na qual vivemos.


Quais desafios você encontrou ao viver a maternidade no dia-a-dia?

Fora o desafio de conciliar profissão e maternidade.... não me vêm à mente outros.


Quais foram as descobertas a respeito de você mesma?

Essa força que eu não sabia que tinha.


Acredita que é uma mulher precisa experimentar a materniade para desenvolver-se como mulher? Por quê?

Cada mulher é diferente: o que eu "ganhei" com a maternidade o desejo também para todas as mulheres, mas cada uma poderá encontrar isso de maneiras diferentes.


Você precisou desta experiência para seu amadurecimento como pessoa? 

Ajudou, foi a mais importante, mas teve outras também.


Como definiria a maternidade?

Um presente do céu.


Tem vontade de ter outros filhos?

Sim.


O que diria à você mesma antes do parto?

Chegou a hora de se conhecer!


Qual conselho daria às mães de primeira viagem?

Escutem sua própria força: temos muitos dentro de nós e aquela parte que vai surgir agora irá ajudá-las a desenvolver-se como mulher! Boa sorte!



Editado por Adriana Tanese Nogueira

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Featured Posts

ONDE ESTÁ?

July 6, 2017

1/1
Please reload

Recent Posts

April 20, 2020

December 2, 2019

Please reload

Archive
Please reload

Search By Tags