SEXUALIDADE DIFÍCIL NO PÓS-PARTO OU RELAÇÃO EM CRISE?

October 29, 2019

Parece que a incidência de separações é mais alta no quarto mês de vida do bebê, presumivelmente, do primeiro.


Por que quarto mês? Por que é quando a mulher não aguenta mais de cansaço. No primeiro há a revolução copernicana: o mundo de repente passa a rodar em volta do bebê. Se gastam muitos neurônios tentando entender o que acontece, quando acontece, o significado do tal choro, do tal sinal. Os horários mudam, a euforia do nascimento termina, o baby blue pode se insediar. O parceiro que ajuda também pode começar a estar cansado. O casal perdeu seu ritmo anterior.


Se a relação não tiver raízes em termos de história (tempo) e de entendimento recíproco (muitas conversas e união), o normal é que a relação precisará de ajustes.


Os ajustes vão acontecer justamente no meio do cataclisma delicioso e exaustivo dos primeiros meses de vida do nosso querido bebê. Conversar e entender-se quando se está tranquilos pode não ser simples. Conversar e entender-se quando se está exaustos, trabalhando fora de casa, não dormindo direito à noite, confusos, sentindo-se de repente com um novo cargo sobre os ombros (responsabilidade moral e econômica)... pode ser um desafio grande.


O sexo sempre tem sido a válvula de escape para "ajustar" a relação. O sexo pode ser charmoso, divertido, gostoso, satisfatório e dar a sensação de que estamos em paz com o mundo. Mas quando um bebê está no meio (metaforicamente) entre em jogo uma identidade nova. A da mulher, em primeiro lugar. Ela não pode esquecer da maternidade. Para o homem pode demorar um pouco mais antes da ficha cair... mas para a mãe, que está amamentando, tirando fraldas, acordando, velando o sono do bebêzinho, isso não foge.


Ela está virando outra, mais rápido do que possa imaginar. Ela está se transformando enquanto o furacão marca o passo de seus curtos dias. Sentimentos novos e conflitantes entram em cena. Maravilha e cansaço lado a lado. E há ele, o pai, o homem, o marido.

A relação de casal também vai mudar, inevitavelmente. E a sexualidade pode ser o lugar onde essa mudança se reflete.



Adriana Tanese Nogueira, Psicanalista, filósofa, autora, educadora perinatal, fundadora da ONG Amigas do Parto. www.adrianatanesenogueira.org

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Featured Posts

ONDE ESTÁ?

July 6, 2017

1/1
Please reload

Recent Posts

April 20, 2020

December 2, 2019

Please reload

Archive
Please reload

Search By Tags